segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Ninguém me esperou para comemorar a virada do ano.

Quando vi, as roupas brancas já estavam pelo chão. Os fogos de artifício já haviam cessado, deixando apenas a fumaça no lugar. O relógio já não marcava mais meia-noite em ponto, esta já havia se passado faz tempo. Garrafas de champagne estavam todas vazias, os copos na mesa, e pratos, também. Embalagens de salgadinhos, panelas e outros, todos vazios. Na rua, não se via mais pessoas, nem mesmo as decorações natalinas. O novo ano já havia começado, e sem me esperar. - Sacanagem!, pensei. O que eu faço com a minha roupa branca? Como não ouvi o ruído dos fogos artificiais? Por que o relógio não parou? Ninguém me chamou para beber e comer? Cadê as pessoas que comemoram até o dia seguinte? Onde as decorações natalinas foram parar? Sem respostas. Aguardava agora pelo próximo natal, e quem sabe, de presente, um ano novo.
"Querido papai noel, não sei se deveria escrever o seu nome com letra maiúscula, espero que neste natal as decorações natalinas fiquem por mais tempo, até o segundo mês do ano novo que eu gostaria de ganhar. Obrigada."

Um comentário:

Delianne Lima disse...

gosto do jeito que escreves :}